AESO - Faculdades Integradas Barros Melo

Empregabilidade LGBTI é tema de aula de confeitaria



A formação contará com intérpretes de libras nas atividades 
 
Nesta quinta-feira (10), acontecerá a aula inaugural da Confeitaria Escola Cozinha Solidária, do Grupo de Trabalhos em Prevenção Posithivo (GTP+), que beneficiará cerca de 100 pessoas da Região Metropolitana do Recife. O curso é destinado para lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais, profissionais do sexo, homens que fazem sexo com homens (HSH), LGBTs egressos do sistema prisional/seus familiares, além de pessoas vivendo com Hiv/Aids e deficientes auditivos. O aulão começa às 13h no auditório da Defensoria Pública da União (DPU), no Centro do Recife. A iniciativa tem o apoio da Fundação Interamericana (IAF). 
 
Na ocasião será apresentado ao público presente duas pesquisas de estudantes da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), sobre os desafios e avanços da população LGBTI no ambiente do trabalho, tendo enfoque o ramo alimentício. Além disso, haverá falas políticas e a entrega de placas para parceirxs do projeto. O evento também contará com empresas amigas da população LGBTI. 
 
Para o coordenador do GTP+, Wladimir Reis, a formação é de extrema importância, pois vai englobar diversos atores sociais em prol do segmento LGBT em situação de vulnerabilidade social, bem como, a ação pretende colaborar com a inclusão dos participantes no mercado de trabalho. 
 
A formação conta com aulas práticas e teóricas, que acontecerão na Faculdade FAFIRE e também na sede do GTP+. A capacitação terá duração de seis meses com atividades pedagógicas e vivências nos Cursos de Gastronomia da UFRPE e Nutrição da FAFIRE. 
 
A Confeitaria Escola tem a parceria dos cursos de Gastronomia das Universidades FAFIRE e UFRPE, DPU, Tintas Iquine, Agência Ópera, Inata/Aeso, Grupo de Arquitetura Abra, padarias locais e diversos voluntários. Vale ressaltar, que na ocasião, será lançada uma campanha virtual para a compra do restante dos equipamentos da Escola Cozinha Solidária. A capacitação é inclusiva, pois toda a formação contará com intérpretes de Libras.

voltar